16 de jun de 2010

No domingo passado meu marido e eu fizemos uma “excursão”com as crianças à uma clínica de vacinação. Eles tinham dormindo na casa dos primos, então o papo no carro começou super animado sobre a farra da noite passada, e eu nem avisei aonde estávamos indo. Meu marido, que é a pessoa mais correta da face da Terra me perguntou baixinho:



- Você não vai falar para as crianças da vacina?


- Vou, claro. Quando estivermos a UMA quadra da clínica.


Bom, ganhei aquele olhar que vinha com a seguinte legenda: “que absurdo, mentir para os próprios filhos”. Como já traduzo muito bem os olhares do maridão, fui logo explicando: não estou mentindo; não disse que íamos pro zoologico, só não disse nada...


Outro olhar com legenda...


Tá bom, quer contar pra eles, conta. Mas depois, se vira para resolver o pepino.


E não é que ele contou???? O resultado?


BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ durante os 15 minutos que duraram o percurso até a clínica. E eram dois “buás”. Obviamente que os 15 minutos pareceram 2h 40m ( e a hora “H”da vacina foi digna de dramalhão mexicano).


O novo olhar do maridão vinha com a seguinte legenda: “ops, foi mal...”.


Acho que devemos ser claros e honestos com as crianças, sempre. Entretanto, devemos usar nosso bom senso e nossa experiêcia para não criar situações estressantes e gerar ansiedade sem necessidade.


Bjs a todos e Boa Semana!