28 de jun de 2010

Juice or not Juice!

Quem tem sede bebe ÁGUA!!!


“Suco é alimento. Se quiser matar a sede, beba água”.

Eu pareço um papagaio em casa, de tanto repetir isso para os meninos.

Os sucos naturais, apesar de serem saudáveis, devem ser consumidos em quantidades moderadas. O consumo exagerado pode contribuir ou piorar problemas sérios como obesidade, caries, e a ingestão inadequada de fibras.

Alguns tipos de suco são muito calóricos, como é o exemplo da laranja, cujo copo fornece 140 calorias, Um suco feito com três laranjas já contabilizou as três porções de fruta/dia em alguns goles. Como a digestão do líquido é mais rápida, a fome volta logo. Quando mastigamos a fruta, a sensção de saciedade é bem mais duradoura. Como então negociar o suco com as crianças e dar o bom exemplo?

Aqui vão algumas dicas!

1. Acho que devemos ensinar as crianças a perceber o que é sede; explicar que após atividade física ou quando estiverem com a boca seca, devem beber água (H20: sem aquela exclamação depois, sem o limão e sem o gás!!).

2. Quanto oferecer: para crianças de 1-6 anos a ingestão deve ser limitada a120-180ml de suco por dia. As crianças de 7-18 anos podem ingerir 240-360ml de suco natural/dia.

3. Os sucos podem entrar na função de alimento (ou seja, equivalendo a uma porção de fruta) na hora de qualquer uma das refeições do dia, desde que não substituam o leite. Eles são pobres em cálcio e vitaminas A e D, fundamentais na formação e manutenção de ossos e dentes saudáveis.

4. Optem pelos sucos de melão, abacaxi, morango ou maracujá, menos calóricos, já que além da quantidade de fruta utilizada ser menor, utilizamos água no seu preparo.

5. Sucos de maçã, pera e ameixa também são boas alternativas se consumidos sem exageros; do contrário, podem causar gases e cólicas.

6. Sucos ricos em vitamina C otimizam a absorção de ferro (laranja, kiwi, limão, maracujá, abacaxi, e acerola) e entram bem nas refeições de carne vermelha, feijão e legumes/folhas verde-escuras.

Saúde!!!!!!!!!!!   E Boa Semana!

16 de jun de 2010

Oinc Oinc News: a vacina "apareceu"

A vacina trivalente contra o influenza (H1N1 suína + H2N3 + B) já está disponível nas clínicas particulares. “Coincidentemente”, as vacinas chegaram às clínicas particulares após o dia 2 de junho, quando terminou a campanha do governo.


As crianças que já receberam as duas doses da vacina H1N1 nos postos de saúde não precisa tomar a vacina trivalente. Quem tiver recebido apenas a primeira dose, pode receber o reforço da trivalente.

Aqui no consultório tenho visto pouquíssimas reações às vacinas, e mesmo assim, muito brandas (febre baixa, um pouco de dor no corpo.

A semelhança do que ocorreu nos Estados Unidos após a vacinação, deveremos ter uma epidemia menos violenta este ano. Não obstante, o vírus já está circulando e não custa nada evitar aglomerações em lugares fechados e manter a higiene das mãos (lavagem com áua e sabão e uso do gel).

Abcs!!
No domingo passado meu marido e eu fizemos uma “excursão”com as crianças à uma clínica de vacinação. Eles tinham dormindo na casa dos primos, então o papo no carro começou super animado sobre a farra da noite passada, e eu nem avisei aonde estávamos indo. Meu marido, que é a pessoa mais correta da face da Terra me perguntou baixinho:



- Você não vai falar para as crianças da vacina?


- Vou, claro. Quando estivermos a UMA quadra da clínica.


Bom, ganhei aquele olhar que vinha com a seguinte legenda: “que absurdo, mentir para os próprios filhos”. Como já traduzo muito bem os olhares do maridão, fui logo explicando: não estou mentindo; não disse que íamos pro zoologico, só não disse nada...


Outro olhar com legenda...


Tá bom, quer contar pra eles, conta. Mas depois, se vira para resolver o pepino.


E não é que ele contou???? O resultado?


BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ durante os 15 minutos que duraram o percurso até a clínica. E eram dois “buás”. Obviamente que os 15 minutos pareceram 2h 40m ( e a hora “H”da vacina foi digna de dramalhão mexicano).


O novo olhar do maridão vinha com a seguinte legenda: “ops, foi mal...”.


Acho que devemos ser claros e honestos com as crianças, sempre. Entretanto, devemos usar nosso bom senso e nossa experiêcia para não criar situações estressantes e gerar ansiedade sem necessidade.


Bjs a todos e Boa Semana!